Vetos: Carmen Zanotto vota a favor dos agentes de saúde, das micro e pequenas empresas e dos produtores rurais

Em sessão realizada na noite de terça-feira (03), o Congresso Nacional derrubou vetos apostos pelo presidente Michel Temer a matérias aprovadas pelo Legislativo. A deputada federal Carmen Zanotto (PPS-SC) encaminhou a posição do PPS pela derrubada do veto a dispositivos do projeto que estabeleceu as atribuições dos agentes comunitários de saúde e de combate a endemias, e determinou jornada de 40 horas de trabalho deles, dentre outros itens. “Queremos a continuidade das ações de saúde desenvolvidas pelos agentes comunitários e defendemos que eles tenham dignidade”, disse Carmen. O veto foi derrotado.

A deputada expressou também a posição do partido quanto ao veto presidencial ao Projeto de Lei Complementar 171/15, que permite o parcelamento em 180 meses, com redução de juros e multas, das dívidas das empresas participantes do Simples Nacional. É o Refis das micro e pequenas empresas, que participam do Simples. O PPS pediu a derrubada do veto. “Queremos que as micro e pequenas empresas fiquem com as portas abertas nas nossas comunidades, nos nossos bairros, levando emprego e renda aos brasileiros”, defendeu Carmen. O veto caiu.

Foram derrotados ainda os vetos ao parcelamento de dívidas relativas à contribuição previdenciária do Funrural – Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural -, o chamado Refis rural. Outro dispositivo do veto da matéria que caiu impedia a liquidação e renegociação, com prorrogação de prazos e descontos, de diversas dívidas junto ao crédito rural contraídas por agricultores familiares. O PPS votou pela derrubada do veto.

Temer vetou o projeto de autoria do senador Antônio Anastasia (PSDB-MG), que determinava a necessidade de uma negociação de prefeitos e governadores com lideranças sindicais para tomar decisões sobre a administração. O deputado Daniel Coelho (PPS-PE) exortou o plenário a atentar para o fato de que “se o veto não for mantido, vamos tirar a prerrogativa de governadores e prefeitos e jogar em líderes sindicais, colocando presidente de sindicato para mandar em autoridades eleitas pelo voto popular”. O veto foi mantido.

Um dos últimos vetos analisados por deputados e senadores foi o que limita o volume de recursos que os produtos de audiovisuais podem utilizar com a renúncia fiscal do Recine, bancada pelo governo federal. O líder do PPS na Câmara, deputado federal Alex Manente, defendeu a manutenção do veto, o que foi referendado pela maioria do plenário.

As matérias serão promulgadas para valer como lei.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s